Como escolher uma distribuição Linux

Bom! Dizer que Linux “a” é bom, “b” é ruim, etc, é muito difícil, pois os sistemas baseados no Linux são todos bons, porém existem algumas coisas que seriam interessantes você observar antes de escolher sua distribuição, como:

a) Popularidade

A popularidade de uma distribuição faz com que o projeto seja constantemente atualizado, mais gente usando, mais suporte, mais conhecimento, etc.

b) Tempo de vida

Tempo de vida é algo importante pois define a vida ativa de um projeto.

Já ouviu aquele ditado “Uma andorinha só não faz verão”? Pois é, quando existe uma comunidade responsável por um projeto ele tende à ficar mais estável, estar sempre atualizado e isto oferece segurança aos seus usuários.

Existem diversas distribuições que simplesmente “sumiram”, exemplos: Kurumin, Conectiva, Backtrack, Gnoppix, entre outras.

Sumiram porque quando o dinheiro acaba, a paixão não consegue alimentar o projeto e então o desenvolvedor começa à diminuir o ciclo de atualização até que o projeto estagne.

Manter um projeto sozinho é bacana, se aprende muito porém com mais e mais usuários adotando o projeto aumenta a carga de cobrança, consequentemente as responsabilidades e se isto não tiver retorno financeiro o desenvolvedor acaba fazendo outra coisa pra pagar as contas e pufff!

Por isso fuja de projetos pessoais, as chamadas “refisefulquis”, como KUbuntu, Duzero, Mint, que são projetos baseados em outros projetos (derivações), pois se elas morrerem você fatalmente vai ter que escolher outra, reinstalar o sistema, enfim…

c) Afinidade

Não é voto de BBB mas escolher uma distribuição é definir aquilo que terá como frontend no seu PC.

Existem dezenas de ambientes gráficos bacanas, como Gnome Shell (meu preferido), KDE (que lembra vagamente o ambiente Windows), LxQT (que tem uma aparência muito “simpática”), Mate, enfim…

Você pode instalar qualquer desses ambientes quando quiser e escolher qual seja mais adequada ao seu gosto (pode até trocar à qualquer momento, basta fazer logoff e escolher), mas é importante você escolher uma que te ajude à fluir na aventura.

d) Adequada

Antes de escolher sua distribuição Linux leia sobre ela, quais os tipos de pacotes que ela usa, se ela aceita a instalação de aplicativos de terceiros (desenvolvidos fora do projeto principal), a frequência de atualização do sistema, como utiliza-la (como instalar programas, atualizar, configurar, enfim).

Das distribuições que eu sempre sugiro, segue uma lista numerada e explicada de 4 delas:

  • Ubuntu -> Se você é do tipo que gosta de instalar tudo, experimentar, modificar e deseja suporte fácil, se trabalha com design, edição de áudio, vídeo, som, imagem… considere usar a mais popular das distribuições. O Ubuntu é um dos responsáveis pelo crescimento do Linux como alternativa aos sistemas proprietário. O ideal é usar a versão LTS (Long Time Support – Suporte à longo prazo) pois ela tem um ciclo de maturidade muito grande (cerca de 2 anos) em relação ao Ubuntu (Release) Desktop, que é de 6 meses.
  • Fedora -> Se você precisa de ferramentas como gerenciamento de redes, de servidores, de sites, etc, o Fedora é o ideal pois ele oferece toda uma segurança por, além de ter como mantenedora uma das empresas mais sólidas do mercado de software do mundo, a Red Hat, ele (o Fedora) é a base do RHEL (Red Hat Enterprise Linux) que é um dos sistemas operacionais mais usados em servidores, além de servir também como base para o CentOS (outro sistema muito utilizado em servidores, principalmente de pequeno porte)..
  • OpenSuse -> Segue (praticamente) a mesma filosofia do Projeto Fedora. É uma comunidade muito grande e estável, que conta com vários mantenedores, tem nada menos que a Novel como mantenedora do projeto e milhões de usuários no mundo todo.
  • Debian -> Pai do Ubuntu (E de outras distribuições, como Mint LMDE, por exemplo, entre outras), o Debian, apesar de ser muito usado como servidor, é um sistema super completo, estável e bacana para ser usado. Além do fato de que quase toda solução para ele funciona nas suas derivações, de fácil aprendizagem, fácil empacotamento, recheado de recursos e de fácil suporte (excelente documentação), além de uma comunidade muito ativa.

Gostou das sugestões??

Comente sobre o assunto.

Anúncios
Publicado em Fedora, Mundo Linux | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Eu amo Linux

Olá, tudo bem?

Eu me chamo José Ferreira Neto e sou ativista Linux desde 2006, tenho vários amigos que também são entusiastas e ativistas Linux e junto compartilhamos conhecimentos, dicas, sugestões, links e tudo que puder (e souber) sobre Linux, num grupo no Facebook chamado SOSLinux.

Deseja experimentar Linux?

Ótimo, faça contato conosco que teremos o maior prazer em ajuda-lo nessa jornada, digo aventura, porque Linux é uma delícia.

Mas se quiser pode me contatar, me chame simplesmente de Neto ou nettux.

Vou ali e já volto com novidades…

 

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário